4 maneiras de transformar o suporte técnico do varejo

Os compradores e a tecnologia continuam a remodelar o cenário do varejo. De fato, 88% dos executivos de varejo citam a aceleração digital como sua principal prioridade de investimento no varejo, de acordo com um relatório recente da Deloitte. Como resultado, os varejistas confiam cada vez mais em sistemas sofisticados – desde terminais móveis de ponto de venda (PDV) e quiosques interativos até sinalização digital e opções de pagamento e compras sem contato. Esses investimentos são quase todos dedicados a otimizar a experiência do cliente e aumentar a lucratividade.

Nos últimos cinco anos, os varejistas passaram por uma enorme transformação digital para aumentar as vendas e reduzir os custos operacionais, melhorando a experiência do cliente. Mais recentemente, a pandemia forçou os varejistas a abandonar os modelos tradicionais e adotar um modelo de entrega just-in-time, com opções de retirada na loja e um foco revitalizado na experiência digital para atender à mudança no comportamento do consumidor.

Os compradores agora esperam um novo nível de personalização, escolha e conveniência. Novas opções de atendimento, pagamento e tecnologia aprimoram a experiência pessoal e aumentam as expectativas. Os varejistas sabem que a competição por dólares do consumidor é feroz.

“Os consumidores que retornam às lojas físicas têm uma experiência elevada. Tecnologias envolventes, incluindo toques de realidade virtual, encontros práticos e funcionalidade de aplicativos na loja, são apenas parte do remake”, afirma Susan Reda, vice-presidente de estratégia educacional da National Retail Federation. “As expectativas estão nas alturas e o perdão é escasso.”

No entanto, implantar a tecnologia para melhorar a experiência do cliente é apenas o começo do processo. Para proteger esse investimento, os varejistas devem garantir que a tecnologia funcione conforme o prometido. Caso contrário, pode afetar negativamente as vendas e a experiência do cliente. Para obter o máximo desses sistemas e garantir a satisfação do cliente, os executivos devem implementar programas de suporte de TI eficazes e rápidos.

Tecnologia é a espinha dorsal das vendas no varejo

A tecnologia é a espinha dorsal que impulsiona as vendas e leva a valores de carrinho mais altos e clientes fiéis. Logística, disponibilidade de produtos, atendimento de pedidos, compras, reabastecimento, suporte ao cliente, sistemas de PDV e até quiosques interativos garantem que os clientes possam encontrar o que precisam e recebê-lo em tempo hábil, seja comprando na loja ou online.

Com muitas lojas se tornando centros de minidistribuição, é mais importante do que nunca manter a tecnologia na loja – tanto sistemas de PDV de frente de casa quanto sistemas de gerenciamento e atendimento de estoque de fundo.

Manter a tecnologia na loja pode ser um desafio. Muitas vezes, o custo é proibitivo ter uma pessoa de TI dedicada no local em cada local de varejo. Como resultado, a maioria dos varejistas segue um modelo de filial distribuída com uma equipe de TI corporativa ou regional responsável por vários locais.

Mas um modelo distribuído pode causar atrasos quando a tecnologia cair.

Uma falha pode ter consequências de longo alcance, pois os varejistas simplesmente não podem deixar seus dispositivos offline, colocando em risco transações de dados, vendas e reputação. O custo médio do tempo de inatividade é de US$ 5.600 por minuto, o que se traduz em mais de US$ 300 mil por hora, de acordo com o Gartner. Mesmo um problema aparentemente pequeno – como alguém acidentalmente soltando um cabo na sala do servidor e desconectando-o – pode derrubar os sistemas PDV ou desativar os scanners portáteis.

O impacto da falha tecnológica é sentido em todos os lugares: na perda de receita, na satisfação do cliente e na produtividade dos funcionários. Isso pode afetar o atendimento de pedidos, resultando em atraso na entrega e uma experiência ruim para o cliente.

Suporte sob demanda — uma alternativa remota

Imagine se você pudesse oferecer suporte seguro a seus vários locais por meio de suporte remoto de TI e realidade aumentada (RA) para ajudar a resolver seus problemas com seu terminal ou servidor PDV. O suporte sob demanda com técnicos terceirizados altamente qualificados pode corrigir problemas — virtualmente — para que suas lojas comecem a funcionar rapidamente. É como ter uma equipe de técnicos de help desk ao seu alcance.

Aqui estão quatro maneiras pelas quais os varejistas podem implementar uma estratégia sob demanda para manter, monitorar e dar suporte a sistemas para minimizar o tempo de inatividade:

  1. Proteja seu investimento para minimizar o tempo de inatividade. Você deseja proteger esses investimentos antecipando-se a quaisquer problemas de tecnologia para minimizar o tempo de inatividade.
  2. Faça um inventário de sua pilha de tecnologia na loja. Saiba quais tecnologias e dispositivos você tem na loja para poder priorizá-los, saber como apoiá-los e entender qual é o impacto nos negócios se essas tecnologias caírem.
  3. Explorar RA. Explore tecnologias como a realidade aumentada, que podem ajudar a colocar os olhos no chão para que as equipes de TI distribuídas resolvam problemas de suporte técnico rapidamente.
  4. Avalie as opções de suporte de TI. Explore o suporte local e as opções de acesso remoto. Se você deseja terceirizar para um recurso de terceiros, confirme as certificações de segurança e conformidade – requisitos no cenário atual repleto de ameaças.

Para aumentar as vendas e aumentar os lucros, a experiência de compra e a tecnologia digital andam de mãos dadas. À medida que os varejistas continuam atendendo às altas expectativas dos compradores, garantir que os sistemas front-of-house e a tecnologia back-of-house estejam sempre ativos é fundamental para o sucesso.

Fonte: Splashtop

Fale com um especialista